[P+2T] Ebook Erótico #2: Download gratuito!

terça-feira, janeiro 12, 2010

Ser Genérico - CONTO

terça-feira, janeiro 12, 2010
  
Imagem: Dave Mckean




De tão indeciso nasceu hermafrodita.


E não bastasse, nasceu em trânsito: os pais viajavam em férias pelo interior do Interior quando se deu o trabalho de parto. Era um domingo, dia de todos os santos, e no interior do Interior não há hospitais. Viajavam de uma cidadezinha de nome estranho A para uma de nome esquisito B quando as dores começaram. As primeiras contrações se deram ainda em A, o bebê coroou em B, mas só teve o cordão cortado em C, cidadezinha menos inóspita.

Os pais, temendo escolher a opção errônea, recusaram influenciar-lhe o sexo. E então, com a consciência leve pela não decisão a qual preferiam chamar de “criação liberal”, chamaram ao bebê por um nome neutro e vestiram-lhe em cores neutras na esperança de que o gênero se revelasse junto ao desabrochar do crescimento.

Passou a infância dividido entre Barbies e Falcons, panelinhas e playmobiles, bambolês e berlindes, mas foi na adolescência que a confusão piorou... E o que antes parecia complicado, mostrou-se simples se comparado ao que estava por vir: futebol com os garotos ou shopping com as meninas? Vestido ou smoking para o baile de formatura? E o pior: com quem dançar?

Não bastasse o dilema pessoal e social, de toda adolescência, o que dizer da sua? Uma explosão hormonal com ares de Big Bang!

Ah, se ao menos agradasse a apenas um gênero, talvez a lei de oferta e procura selasse o seu destino, mas não... Sua beleza andrógina o tornava alvo genérico, cortejado por ambos os sexos. E seu corpo, sem preconceitos, respondia independente do gênero que o despertava. E na maior parte do tempo sentia-se  uma pessoa feliz assim, indecisa e indefinida. Pena que o mundo só ofereça um espaço de cada vez.

Tornou-se um indivíduo tão promíscuo e volúvel que nenhum relacionamento engrenou. Nunca soube se preferia ficar por cima ou por baixo, por dentro ou por fora. Algumas vezes já nem tinha certeza se gostava de alguma coisa de fato, ou se só as fazia em busca de respostas que nunca vinham.

Envelheceu cheio de rótulos que não lhe cabiam e dúvidas que lhe roubavam o pensar. Toda vez que precisava usar um banheiro público, parava em frente à porta num profundo e reflexivo pesar que mais ninguém compreendia. O mesmo ocorria ao abotoar de uma camisa, fechar de um cinto ou cruzar de pernas: qual é o lado certo? Qual é o lado...

Foi pai e mãe, biologicamente falando, mas não assumiu nenhum dos papéis. Não por falta de comprometimento para com os filhos, mas sim para com os pais. Sentia-se culpado por não poder dar-lhes uma resposta satisfatória, qualquer que fosse.

O excesso de opção foi seu maior castigo, sua maior tormenta. Foi só na morte que encontrou a paz. Seu epitáfio exibe sua primeira revelação, compreendida somente por suas últimas palavras, foram elas:

Deixem-me
Apenas
Ser

0 comentários:

P+2T: Especial Erótico! Baixe o seu.

Curtiu? Curte lá: P+2T no Facebook

Ou siga por email, inscrevendo o seu aqui:

 
◄Design by Pocket Distributed by Deluxe Templates
Blogger Templates